IlustraFriYAY: Synchro Swim Pattern

Desde o início do blog eu posto ilustrações na sexta-feira, porque é um dos dias mais lindos da semana. Então resolvi dar um nome especial para essa junção maravilhosa que é a alegria da sexta-feira com a inspiração que todo mundo ama, nasceu assim a IlustraFriYAY! 

ilustra-fri-yay-blog-anonimo-provisorio-2017

Porque nada é melhor do que começar a sexta feira super inspirado e passar o fim de semana inteirinho super na good vibes, né?

Desde que fui vendo ilustrações sobre a temática de synchro swimm, no pinterest (que se por acaso você quiser ver minhas pastas de inspiração por lá, está super convidado) me apaixonei, fiquei fissurada meixmo e fui pinando algumas por lá. Então, separei 5 ilustradoras diferentes de nado sincronizado que são tão amô que resolvi compartilhar.

1. Simone Massoni

2. Caroline Pietrowski

3. Elizabeth Olwen

4. Laura Weiszer

screen_shot_2013-06-08_at_1.12.19_am

5. Maghen Brown

synchronized+swimmers

Dois curta-metragens que marcaram minha infância

curtra-metragens-infancia-blog-anonimo-provisorio-2017

Minha infância foi muito influenciada pela TV Cultura, único canal que mainha me deixava assistir porque julgava os desenhos dos outros canais inapropriados e violentos pra mim. Eu nem reclamava e adorava toda a programação. Chegava em casa, fazia minhas atividades e ia correndo pro pé da tevê assistir tudo até chegar o Sem Censura da Leda Nagle que passa até hoje, haha. (Só que como eu escrevi esse post 9 meses atrás, infelizmente a Leda não é mais a apresentadora do programa. Sim, uma gestação pra liberar o post. Não me julguem!).

Durante algum tempo, o que dominava os intervalos comerciais eram os curta-metragens. Como a tevê daqui é uma filial (a TVE), eu não sei se os curtas passavam em todo o Brasil, então separei alguns que marcaram minha infância e que eu adorava assistir. Na busca por eles, assisti novamente e matei a saudade ♥

Que Horas São? – (dir. André Pellenz, 2007)

César, um garoto que vive numa pequena cidade onde ninguém mais sabe que horas são, por causa de um forte temporal que danificou relógios e telefones.

É o último dia do ano, e para rever Luiza, a primeira paixão de sua vida, César precisa descobrir as horas para salvar a festa de Ano-Novo. Ele descobre como fazer um relógio de sol, para ajustar um velho despertador, único relógio mecânico com chances de ser consertado. E luta justamente contra aquilo que quer medir – o tempo.

Quem quiser assistir, aqui está o curta completo.

Maré Capoeira – (dir. Paola Barreto Leblanc , 2005)

Maré é o apelido de João, um menino de dez anos que sonha seguir o exemplo do pai e ser mestre de capoeira, dando continuidade a uma tradição familiar que atravessa várias gerações. Um filme de amor e guerra.

O curta metragem está disponível no site Porta Curtas com todas as informações de elenco, roteiro e ficha técnica. Assista aqui.

Existiam outros, inclusive tem um que eu me lembro de algumas cenas mas, infelizmente não consegui lembrar o suficiente pra achá-lo. Esses foram o que eu consegui encontrar.

Quem acompanha o blog a algum tempo sabe que eu já fiz um curso free de cinema, numa biblioteca, em que o foco eram os curtas, inclusive no final do curso seria apresentado como trabalho de conclusão um curta metragem, só que por azar do destino, foi o ano da copa e depois da copa o curso não voltou. Mas meu desejo de produzir um curta nunca acabou. Quem sabe um dia, não é mesmo?

P.S.: Já viram a minha lista 101 coisas para fazer em 1001 dias? Dei uma atualizada linda por lá!

Um rolê na Praia do Forte and Meu aniversário

blog-anonimo-provisorio-praia-do-forte-2016

Nossa, quanto tempo hein?! O blog já estava com casinhas de aranha, não é? Não vou fazer mais aquele velho discurso de por onde andei enquanto vocês me procuravam

Eu tô bem, aconteceu muita coisa boa (meeixmo), que talvez eu conte aqui em algum outro momento. Quero lembrar que a lista de 101 coisas em 1001 dias está sendo atualizada aqui e ali, de vez em quando… as coisas estão andando. Eu espero de coração que vocês estejam bem também. Agora, vamos ao assunto real oficial do post?

Então, miga, conta aí como é fazer 18 anos?
Bem, tudo o que sei é que parece que foi ontem que eu cheguei aos 15. Passa tudo muito rápido e, sinceramente, não muda muita coisa. Porém, posso dizer que é a mistura de um mundo novo com tudo o que permanece igual. No dia anterior eu estava um pouco emotiva e introspectiva. Dormi e acordei com um sentimento enorme de gratidão. Foi muito lindo esse momento que eu não contei pra ninguém, mas estou contando aqui.

Eu vou contar outro segredinho aqui pra vocês, sou muito grudada com minha mãe e tô com medo de ter que resolver minhas coisas (tipo burocráticas da vida) sozinha. Mas acho que mesmo com medo, sinto que devo estar aberta pra viver esses momentos. A vida adulta dói um pouco (aqueles boletinhos básicos que vem com a idade e afins), mas a gente tem que crescer, né? Já estou um pouco ansiosa pra viver faculdade, trabalho, a correria um pouco mais hard do que eu já estou acostumada, mas acho que posso falar um pouco mais disso em outra oportunidade.

Esse dia foi loko
O dia começou cheio de surpresas, ganhei café da manhã na cama que na verdade eu meio que já sabia porque ouvi meus pais cochichando de manhã na cozinha, delicioso. E em seguida nos ajeitamos e fomos finalmente conhecer a Praia do Forte (finalmente porque desde os 15 anos peço a painho para me levar e só depois de 3 anos ele resolveu vencer os pouco mais de 80km que é daqui de casa para lá).

Processed with VSCO with hb2 preset

Chegamos lá bem cedo, pouco mais das 8h da manhã. Deixamos o carro e fomos á caça do Projeto Tamar, porque fomos pela primeira vez e não sabíamos absolutamente NADA de lá além do que pesquisamos na internet. Fomos praticamente abrir o local!

Processed with VSCO with hb2 preset

O Projeto Tamar é absolutamente lindo e fiquei ainda mais fã. Vi quase tudo o que o lugar expõe, mas ainda voltarei lá para conferir o submarino amarelo e o nascimento das tartaruguinhas que são as coisas mais fofas (vi algumas no tanque, fiquei apaixonada!).

Processed with VSCO with hb2 presetProcessed with VSCO with hb2 preset

Esta é uma tartaruga de pente ou legítima (Eretmochelys imbricata). A única foto de tartaruga que eu saiu perfeitinha. Eu sabia que algumas espécies eram grandes, mas ainda assim me surpreendi com o tamanho.

Processed with VSCO with hb2 preset

Depois da visita ao Projeto Tamar, fui fazer algumas fotos e depois curtimos o mar, bem ali em frente à igrejinha azul, São Francisco, fofíssima!

Processed with VSCO with hb1 presetProcessed with VSCO with hb2 presetProcessed with VSCO with hb2 presetProcessed with VSCO with hb2 presetProcessed with VSCO with hb2 preset

*dscf11611Processed with VSCO with hb2 presetProcessed with VSCO with hb2 preset

Notas sobre o lugar: Achamos que tudo seria absurdamente caro. Mas não. A entrada para o Projeto é 22 reais a inteira e 11 reais a meia. Ainda rolam pacotes para família. Tem restaurante dentro do próprio projeto, mas existem outras opções fora, para todos os gostos e bolsos, tanto os restaurantes quanto as lojas. As ruas são agradáveis, limpas e organizadas. Gostamos  bastante e vamos voltar. Quando virem para Salvador, não deixem de visitar a Praia do Forte e o Projeto Tamar.

E ainda teve surpresa!
Já na segunda feira fui surpreendida com uma festinha surpresa dos adolescentes da minha igreja, com quem trabalho. Teve o bolo que eu não comi no dia 18. Me senti ainda mais amada, foi um carinho a mais de Deus comigo. Foi tudo muito lindo! A manteiga derretida aqui chorou e tudo, hehe!



Agradeço a Deus por esses 18 anos. Gosto de pensar que são 18 anos de oportunidades que Ele me deu de tentar ser uma pessoa melhor. Já disse uma vez e digo novamente: Gratidão é a palavra que resume todo o meu sentimento!

info:
Todas as fotos editadas com o VSCO
*A maioria das fotos em que eu estou foram tiradas por meu amigo do Na Moda SQN, salva exceção de uma, que foi mainha.

Eu que fiz: O primeiro diy do blog, almofadas!

blog-anonimo-provisorio-o-primeiro-diy-do-blog-2016Olá! Este é o primeiro do it yourself (faça você mesmo) do blog! Vim mostrar estas tentativas que deram meio certo. No decorrer do post vou contar-lhes o porquê.

Almofada de Poá

blog-anonimo-provisorio-diy-poá-2016.png

Minha mãe fazendo experimentos em costura resolveu fazer uma almofada branca. Quando ficou pronta eu pedi pra que ela me deixasse fazer uma estampa de poá nela e até então, tudo certo.

Materiais: Uma tampa de garrafa de suco skinka como molde, que é um pouco maior do que as de garrafas pet de dois litros. Tinta preta Acrilex. E pincel, claro!

O  que deu errado: Eu borrei sem querer algumas bolinhas, foi um verdadeiro episódio de drama de uma novela mexicana… enfim, o poá ficou meio contemporâneo…

Almofada de Alce

blog-anonimo-provisorio-dyi-alce-e-poá-2016.png

Depois da experiência super ok com a almofada de poá minha mãe costurou uma almofada preta e eu já imaginei um lindo alce dourado nela. Segui este tutorial de  Os homens da Casa e voilá!

Materiais: Esta imagem como molde, tinta branca como base para receber a cor Ouro, edição comemorativa de 50 anos, ambas Acrilex.

O que deu errado: Uma das dicas que recebi do Eduardo (HDC) e da minha mãe, que também pinta, foi: “coloque camadas de tinta branca no tecido preto para realçar a cor!”. Enfim, as camadas de tinta branca que não foram suficientes… mas ficou bonitinho mesmo assim e eu adorei o resultado final, a cor ficou intensa mesmo sem tantas camadas de tinta base.

Eu queria ter tirado mais fotos pra mostrar os detalhes, mas já me bati toda pra tentar tirar fotos boas. Se não fosse Leanor me dando dicas pelo wathsapp…

Eu constatei que eu realmente tenho mais afinidade por fotografias em externas.

Enfim, ás vezes as coisas não dão certo como o esperado. Quem fizer esse tipo de DIY em casa não repitam os meus erros. Um DIY nem sempre são flores, não é mesmo?

Musicolove 2016 #2

blog-anonimo-provisorio-musicolove-6-2016-divulgaçãoOlá minha gente! Cheguei para atualizar-lhes dos meus queridos grudes musicais desse trimestre que se encerrou. Eu continuo escutando os discos do post anterior mas também conheci muita coisa legal e quero que vocês conheçam também.

Já quero adiantar que esse musicolove está cheio de amor, significado e poesia. Eu estou numa vibe musical muito gostosa. Nunca escutei músicas tão calmas quanto agora e tem me feito um bem danado. Antigamente eu não gostava, achava chato. Hoje em dia tenho gostado. É aí que a gente percebe que muda mesmo com o tempo. Vamos lá!

blog-anonimo-provisorio-musicolove-6-2016

Marcos Almeida – Sê Valente, 2016 –  Marcos Almeida é dos meus cantores favoritos nacionais. E todo este gosto tem uma história que eu conto aqui. Mesmo que o Marcos tenha dado uma pausa com a Palavrantiga eu continuo acompanhando o lindo trabalho dele. Quando essa música surgiu, me tocou muito e eu passei dias escutando ela repetidamente. Vou amar essa música pra sempre! Escute aqui.

Igreja Monte Sião – Meu lugar é aqui, 2015 – Esse é daqueles álbuns que você ama primeiro uma música, não dá nada pelo disco e quando para pra escutar só consegue pensar: como assim eu vivi sem isso a vida inteira? É o primeiro álbum da igreja Monte Sião (que eu conheci através do Teófilo Hayashi e seu Movimento Dunamis) e tô simplesmente amando. É o que eu tenho escutado todos os dias. As letras são carregadas de significado e adoração. Escute a playlist do disco inteiro aqui.

Guilherme Scardini – Eu vim do Céu, 2014 – Bem, vou confessar: a única música do Guilherme que eu conheço é essa. Eu ainda não escutei o Varandeiro inteiro (sorry!). Gente, eu ouvi essa música pela primeira vez num cover do Simonami (já falei sobre eles aqui no blog também) com o próprio Guilherme e eu chorei ouvindo. É um acalento no coração! Escute aqui: cover com Simonami, versão original.

Daniel Lüdtke – Mais alto, mais profundo, 2016 – Sabe quando você tá de boas em casa com a tevê ligada aí toca uma música e de num sobressalto você precisa descobrir que música é esta e tenta de todo jeito digitar o trecho da música no youtube pra encontrar? Assim mesmo, sem nem lembrar de respirar! É, acontece comigo sempre e eu me apaixonei à primeira escuta por essa música. É mais uma dessas que são poesia do início ao fim. O disco completo é mara, mas eu escutei somente uma vez então estou falando daquela que mais gostei ♥ Escute aqui.

Bônus:

Se tem uma coisa que eu adoro é montar playlist no spotify. Eu fiz uma que tenho escutado bastante e é maravilhosa pra indicar aqui como parte desse musicolove. Se quiser me seguir, eu sou @euludimilaagatha por lá. O nome é “Pra escutar GRITANO” porque eu amo todas as músicas e canto com força quando escuto:

Repararam que o musicolove dessa vez veio totalmente nacional (salva uma única em inglês na playlist do spotify, hehe)? Tenho gostado muito de escutar músicas nacionais. E você? Lembra das músicas que mais escutou no último trimestre? Conta aqui pra mim! Grande beijo!

Um rolê no Parque da Cidade

blog-anonimo-provisorio-um-role-no-parque-da-cidade-2016.2.png

Uma das lembranças mais gostosas da minha infância são os parques de Salvador. O Parque da cidade era programa favorito pra passar o dia inteiro brincando e só voltar pra casa no fim da tarde. Faz anos que não voltava lá e depois da reforma eu tinha que conferir as mudanças. Fiz isto no último sábado.

Foi muito bom rever o lugar porque mesmo depois da reforma eu não lembrava muito do tamanho do parque nem o que tinha por lá. Só sei que lembrava muito dos castelinhos que vão fazer uma falta danada. Foi uma passada rápida pois já saímos de casa no fim da tarde. Não fotografei tudo, mas prometo voltar lá e fotografar o parque inteirinho. Eu tenho que tirar uma foto na Sala de Estar Rosa do Bel Borba (Um artista maravilhoso aqui de Salvador, que tem intervenções artísticas por vários locais da cidade).

Processed with VSCO with c1 presetProcessed with VSCO with c1 presetProcessed with VSCO with c1 preset

Essa parte é a Alameda dos Ipês que vai ficar maravilhosa quando os Ipês estiverem grandes e florescerem. Daqui de casa dá pra ver um que é solitário no meio da mata próxima a minha casa e é lindo quando de surpresa ele floresce. Imagina lá no parque vários juntos florescendo? Vai ser um espetáculo! Ah, esse gramado é enorme! Fiquei apaixonada.

Processed with VSCO with c1 preset

Esta é a Estátua Confúcio, doada pelo governo da Província de Shandong, na China, em 2004. Que mudou de lugar e agora está numa área dedicada à meditação. Achei a coisa mais linda!

Eu não planejava postar as fotos no blog. Depois que resolvi postar, me arrependi de não ter fotografado mais pra mostrar aqui.

Processed with VSCO with c1 presetProcessed with VSCO with c1 preset

Agora o momento blogueirinha de moda: Eu fiquei apaixonada pelo meu look, mesmo que não tenha sido uma super produção. Essa brusinha de gola que quase tive um mini ataque cardíaco quando encontrei, porque nunca tive esperanças de encontrar peças assim aqui em Salvador, é da Opção Jeans. A calça é aquela que eu uso sempre. A sandália de couro é de uma das muitas lojinhas da Ladeira/Corredor do Couro, da Barroquinha, lugar famoso aqui. A bolsa é de crochê que eu odiava quando era criança e há alguns meses quando minha mãe disse que ia jogá-la fora eu a vi com outros olhos e agora a carrego comigo pra onde vou! Acabo de concluir que não sei descrever looks nem fazer aquelas expressões bonitas que as meninas fazem, haha!

Info:
Todas as fotos foram feitas do Celular.
As fotos do look foram feitas por minha prima Emile.

As séries que andei assistindo

as-series-que-andei-assistindo-anonimo-provisorio-blogFaz tempo que apareci por aqui… Tem acontecido tanta coisa, espero poder contar em breve.

Antigamente eu tinha um problema sério com séries que eu tivesse que ligar o computador e procurar lá pra assistir online. Porque:

1- Minha internet era -e ainda é- ruim
2- Eu tinha preguiça

Então basicamente o que eu via era o que passava na tevê, vulgo: Todo mundo odeia o Chris, CSI, NCIS, Bones, Chuck… já pelo computador, mesmo tendo preguiça eu consegui assistir alguns episódios de Once Upon a Time (abandonei, mas quero voltar a assistir), Supernatural (abandonei sem motivos) e só consegui assistir duas séries até o final, mas isso é tema pra outro post.

Eu já percebi. Esse ano eu tenho consumido muito mais audiovisual do que os livros, preciso voltar a ler mais. Estou sempre assistindo, seja no Youtube, seja na Netflix, que passei a ter acesso a pouco tempo e hoje eu vou contar pra vocês quais séries andei assistindo:

blog-anonimo-provisorio-as-series-que-andei-assistindo.png

Vikings

Eu sempre curti os povos nórdicos. Fui apresentada à série por amigos num trabalho de escola (saudades!). Fui cobrada para assistir durante muuuito tempo e já no primeiro episódio me rendi a série. Se você quer 5 motivos pra assistir Vikings, vem cá, eles também me convenceram.

O que eu já vi: 1ª temporada
Vou continuar assistindo? of course!

Hot to Get Away with Murder

Eu sempre gosto de suspense, ação e séries policiais. Eu assisti o primeiro episódio sabendo que iria amar. Enfim, no final de cada episódio os 20 segundos de espera para o próximo eram uma eternidade. Mal posso esperar para a segunda temporada na Netflix (amiga, vamos rápido com isso, please!)

O que eu já vi: 1ª temporada
vou continuar assistindo? Yeah!

Friends

O primeiro episódio não me impressionou. Não foi amor à primeira vista, mas depois eu me vi amando loucamente a série e simplesmente não consigo mais parar de assistir. Amo tanto!

O que eu já vi: 1ª e 2ª temporada
Vou continuar assistindo? Sim, inclusive é meta do 101 coisas em 1001 dias, já viu?

Flash

Eu achava que não ia gostar também, no início era um pouco sem graça. Quando os finais dos episódios passaram a ser muito instigantes eu me apaixonei e hoje o que eu mais quero é assistir todos os episódios em maratona porque a curiosidade me consome num tanto…

O que eu já vi: quase no fim da 1ª temporada
Vou continuar assistindo? Sempre!

House of Cards

O que eu pensava alguns episódios antes de terminar a temporada:  Esta é a única série que eu estou assistindo com menos empolgação que as outras. Eu resolvi assistir por indicação de algum site que não me lembro por falar sobre política. A série ainda não me ganhou.

O que eu passei a pensar quando encerrei a primeira temporada: A série não tem lá muitas doses de empolgação. A real é que o guerreiro que pretende assistir  até o final recebe um presente nos últimos episódios o que dá uma empolgação e interesse em saber o que acontece depois. Foi o que aconteceu comigo e eu levei direto no primeiro episódio da segunda temporada.. também, parei aí.. mas eu vou continuar, isso é fato!

O que eu já vi: a 1ª temporada
Vou continuar assistindo? Pretendo continuar assistindo a segunda temporada..

Eu amo assistir séries e pretendo assistir muito mais, a lista é grande! E você, o que tem assistido? Me conta!